Município de Trancoso

Apresentação

Situado na zona interior da Beira Alta e pertencendo ao distrito da Guarda, Trancoso é uma das 12 Aldeias Históricas de Portugal.

Está rodeado pelos concelhos de Aguiar da Beira, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Meda, Penedono, Pinhel e Sernancelhe.

O concelho de Trancoso, com uma área de 364,54 Km2 e uma altitude média de 750 m tem cerca de 10.000 habitantes e é constituído por 21 freguesias.

Esta cidade amuralhada possui um dos mais belos castelos de Portugal oferecendo ainda um vasto património classificado.

O mercado semanal das Sextas-Feiras, um dos maiores da Beira Alta e a feira anual de São Bartolomeu, umas das mais antigas do país dinamizam Trancoso.

Evidências do Caminho

Trancoso: onde os caminhos se unem.

O interior norte da região das Beiras é atravessado por dois itinerários de peregrinação ao túmulo do Apóstolo Santiago o Maior, que se unem, justamente, em Trancoso – antiga vila medieval, cujas origens remontam aos primeiros tempos de romagem àquele lugar santo.

O denominado Caminho de Torres (por se inspirar na rota percorrida por Diego Torres Villarroel, em 1737) liga Salamanca a Santiago de Compostela, passando pelo território português, num trajeto com 570 km de extensão, dividido por 24 etapas. Por sua vez, a Via Portugal Nascente reconstrói o caminho de Santiago pelo interior do país. Tem início em Tavira e termina em Trancoso, onde entronca no Caminho de Torres, perfazendo 645 km até Santiago, repartidos por 32 etapas. Local de pernoita para os que optam por um destes dois itinerários, Trancoso merece uma visita demorada. De facto, o castelo e as muralhas, da vila são apenas o expoente máximo de um núcleo histórico que conserva um vasto e admirável Património Cultural.

As várias etapas que abrangem o concelho de Trancoso sobressaem pelo seu elevado grau de autenticidade. A antiguidade dos trajetos é corroborada pelas fontes históricas, pela tradição oral e pelos vestígios patrimoniais que se descobrem ao longo dos próprios caminhos e que com ele se relacionam, como: trechos de velhas calçadas, devotas alminhas, magníficas pontes de pedra e sepulturas escavadas na rocha de época alto medieval.

Percorrer estes caminhos, maioritariamente rurais, plenos de quietude e em íntima comunhão com a natureza, é um convite inegável à introspeção e renovação espiritual, mas é, também, uma excelente forma de conhecer a incalculável riqueza paisagística, natural e cultural, de toda esta região do interior de Portugal. Partindo de Celorico da Beira ou de Pinhel, ascende-se nas imediações de Trancoso aos planaltos da Beira, cujas características irão definir todo o Caminho até ao vale do Douro. Para trás, deixam-se paisagens que, voltando costas, se revelam únicas, deslumbrantes e contemplativas: a sul o vale do Mondego, com a majestosa serra da Estrela em pano de fundo, e a nascente a imensidão da Meseta Ibérica.

Contactos da Entidade

Morada: Praça do Município, 6420-107 Trancoso

Telefone.: 271 829 120

Email: geral@cm-trancoso.pt

Informação útil ao peregrino

Recomenda-se começar nas caminhadas uns meses antes de começar a peregrinação, assim como utilizar calçado cómodo que se tenha usado anteriormente. Aconselha-se levar sandálias ou chinelos para calçar uma vez no destino, quando for preciso deixar respirar o pé. É preciso levar creme solar, impermeável e um kit de primeiros socorros mínimo para emergências, convém que a mochila não seja muito pesada. As recomendações insistem em que não deve ultrapassar os dez quilos de peso. Uma lanterna, de mão ou frontal, e um bastão para caminhar são também ferramentas indispensáveis.

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo
X